Notícia na Mira: Vem ai o II Simpósio Nacional de Arbitragem Feminina


            As vésperas do início da abertura das inscrições para o II Simpósio Nacional de Arbitragem Feminina, que iniciarão no dia 01 de junho de 2019, o Blog Além do Apito, apoiador dessa iniciativa vem trazer alguns detalhes importantes dessa iniciativa.
            Idealizado pela AEBA – Associação de Árbitros do Estado da Bahia, o Simpósio Nacional de Arbitragem Feminina, em sua primeira Edição, ocorreu em Novembro de 2017 em Salvador BA. Nessa edição, o evento teve como objetivo reunir árbitras de futebol das mais diversas regiões do país, para uma discussão mais ampla sobre o cotidiano na arbitragem, espaços, dificuldades, traças melhorias e Buscar Oportunidades, bem como demais assuntos pertinentes.
    Você pode conferir como foi essa edição do evento, através do site https://arbitragemfeminina.wixsite.com/simposio

            Pensando na Inovação, o II Simpósio Nacional de Arbitragem Feminina foi reformulado e ampliado seu público alvo, com uma SUPER NOVIDADE:
            Na Edição de 2019, não somente Árbitras de futebol, mas também das demais modalidades (Futebol, Fut7, Society, Futsal, Beach Soccer e demais interessadas).
            Pensando não só em agregar conhecimento, mas reforçar a necessidade da união e do empoderamento da mulher na arbitragem (segundo o Presidente da AEBA, Sr Francisco Neto), em sua 2ª Edição, o evento será realizado na Região Sudeste do Brasil, contando com apoio e organização da do evento através de parceria com a DG Assessoria e Eventos.
            Segundo o responsável da DG, organizador do evento em São Paulo, Sr Douglas D Andrea, o mesmo ressalta a importância do evento, onde nos falou, quando contatado no dia de hoje, 30,  que “nunca se falou tanto em empoderamento feminino como na atualidade, porém, precisamos de ações concretas que resulte em políticas públicas e decisões políticas e esportivas para nossas arbitras. Precisamos que reconheçam a capacidade técnica, respeitem o biotipo e corpo da mulher, porém, que oportunize um campo cada vez maior de trabalho e em igualdade de oportunidades”.

            O Evento será realizado na Cidade de São Paulo – SP, neste ano de 2019, conforme especificado abaixo:

Data: 23 e 24 de Novembro de 2019.
Local: Hotel Pananby
Endereço: Av. Ordem e Progresso, 115 - Barra Funda, São Paulo - SP, 01141-030

O Evento é Gratuito e Exclusivo ao Público Feminino!

TEMÁTICA DO EVENTO:
Espaços e Possibilidades para Arbitragem Feminina: Eu Quero, Eu Posso, Eu Consigo!

INSCRIÇÕES PARA O EVENTO:
            As inscrições iniciam na manha do dia 01 de junho, mediante preenchimento do formulário através da Plataforma Sympla, disponível no link https://www.sympla.com.br/ii-simposio-nacional-de-arbitragem-feminina__485032



Maiores informações:
E-mail para contato: simposioarbitragemfeminina@gmail.com
WhatsApp Disponível para informações -  (51) 98138-8128

Acompanhe todas as Novidades nas redes!
Página no Facebook - Simpósio Nacional de Arbitragem Feminina – 2019 - https://www.facebook.com/SimposioNacionaldeArbitragemFeminina2019/

            Oportunamente, em outras ocasiões, estaremos trazendo maiores informações sobre o evento na íntegra aqui em nosso blog.

Opinião do Apito: Noite Perfeita com Elegância e Aula de Arbitragem com atuação Triunfante de uma Mulher no Comando do Apito na Série A do Brasileirão 2019


            Nesta bela noite de segunda-feira no Estádio Rei Pelé em Maceió, assistimos uma bela atuação de uma Árbitra FIFA no campeonato Brasileiro, uma apresentação de rainha no estádio do Rei Pelé. Ela Desfilou, aplicou e levou o jogo com maestria. Edna Alves Batista, a mulher que fez todos os Árbitros do Brasil, pelo menos pensar em encher o estádio para vê-lá apitar.
            Este dia, não quero que entre para biblioteca do esporte, e sim que seja a primeira atuação de muitas, e que Edna, seja nossa Bibiana Steinhaus do Brasil e receba muitas outras oportunidades em 2019.
            Ela foi muito bem em vários lances da partida, mostrando autonomia e controle das situações, apitando de acordo com as regras e o espírito do jogo.

Foto Oficial da partida CSA x Goiás (equipe de Arbitragem)


Análise:
            Aos 8 minutos do primeiro tempo ela já mostrou que estava ligada no 220 volts, quando aplicou cartão amarelo (CA), para o atleta Naldo do CSA, por puxar o adversário pela calção.
            Jogo seguiu tranquilamente com poucas faltas, até aos 27 minutos, onde a nossa FIFA corretamente aplicou cartão amarelo (CA), perto do meio campo, para o atleta Daniel Guedes, por dar um carrinho e atingir o adversário e assim acabou o primeiro tempo.
            Já no segundo tempo, o jogo foi mais pegado aos 55 minutos Edna Alves aplicou corretamente cartão amarelo (CA), para o atleta Apodi, por matar um ataque promissor no meio campo.
            Aos 60 minutos em um ataque do CSA, onde a bola bateu na Árbitra, e mudou de direção, ela aplicou bola ao chão corretamente.
            Como nada é fácil, mas nada para ela é difícil, tudo é dedicação, aos 80 minutos, começou a chover, e simplesmente, continuou a atuar com elegância e a regra debaixo do braço. A regra estava tão estudada que aos 42 minutos, não hesitou em aplicar cartão amarelo para o goleiro Jordi do CSA por retardar o reinício de jogo. Edna Alves Batista simplesmente demais e a pergunta fica:

            Será que CSA e GOIÁS vai ser o primeiro e único jogo deste ano a ter uma mulher como Árbitra central?



            Isso não sabemos, somente a comissão de arbitragem, com seu grande presidente Leonardo Gaciba, um ex- Árbitro muito qualificado, com uma ótima carreira, grande exemplo e agora fazendo sua história, como diretor de arbitragem. 
            Gaciba é rei e Edna é nossa rainha e a única coisa que sei que ambos vão dormir está rodada em paz com seus feitos.

De: Jhefferson Rodrigues.

Opinião do Apito: As Regras são somente 17 (Dezessete)


            Muitas vezes escutamos um chiado, como se tivesse uma água fervendo, este é o momento que corremos, para desligar a chaleira do fogão. O motivo disto é simplesmente, porque se ela ficar fervendo, ela entra em ebulição virando tudo vapor. Hoje, venho aqui, desligar esta chaleira do seu fogão, porque o que eu quero é um bom café preto, para esquentar a goela e as mãos. A vida é assim, temos que decidir o que queremos prestar atenção no que ouvimos e como amigo auxiliar o certo.
            O que eu quero:
            "Ser um ótimo Árbitro."

            O que eu escuto às vezes:
            "Regra 18 (dezoito) neles."


            O meu auxílio como seu amigo Árbitro é você deletar, esta regra inexistente do seu consciente. Quando você usa essa regra, simplesmente, você está inventando, queimando seu filme e não sendo Árbitro. Fica mais bonito, dizer que você não viu a falta do que dar um tiro livre indireto (TLI), onde todo mundo sabia que era para tiro livre direto (TLD).
            Apite com o "espírito de jogo" e não com invenções.
            O espírito de jogo está no livro de regras com o seguinte trecho:

_" O futebol deve ser praticado com base em regras que propiciem o jogo limpo (Fair Play), pois um pilar crucial da beleza do (jogo bonito) é a sua legitimidade - esta é uma característica vital do ESPIRITO DE JOGO."


            O que seria o Espírito de jogo?

            O espírito de jogo é simplesmente a leitura do jogo. Alguns jogos são mais arbitrados e outros são na base da lei da vantagem, como se um fosse, campeonato Brasileiro, e outro, Libertadores e seus jogos pegados.
            Nenhum dos dois modos é errado, errado é ser imparcial em suas decisões e inventar regras. Na primeira, o comentarista, e até mesmo os atletas, vão dizer que você errou, mas quando acontecer do outro lado, e você aplicar a mesma coisa, eles vão dizer que você acertou em marcar a mesma coisa, para ambos os lados e no final do contexto todo, sua arbitragem vai acabar sendo ótima.
            Nosso mundo não é fácil, apitar, fazer assistência, sempre sobre pressão, é complicado, então não invente com a regra 18 (dezoito) e apite sempre com "espírito de jogo", que você vai sempre ter, um reconhecimento positivo a onde for.

De: Jhefferson Rodrigues.

Opinião do Apito: A Regra dos números de Jogadores no Futebol 7 (Sete)


            Dias atrás me perguntaram de onde tiro tanta expiração, para escrever para o Blog e criar meus pequenos versos de arbitragem.
            Hoje aqui, amigos leitores, vos respondo: Eu não tiro de lugar algum, eles simplesmente vem do coração.
            Vocês podem não acreditar, mais eu amo apitar, eu amo sentir aquele clima de pressão, e não poder afrouxar, para não perder o jogo das mãos. Dinheiro para mim é complemento, o que vale mais pra mim é o reconhecimento, pois isso ninguém compra.
            Para que eu e você aprendermos mais, hoje deixo esta coluna no Blog Além do Apito referente ao Futebol 07 (sete), regra 03 (três), da Confederação Brasileira de Soccer Society, que fala do "Número de Atletas".
            
            Vamos aos pontos desta regra, que a meu ver, teremos sempre que ter certo cuidado.

1• Não é permitido o início da partida sem que as equipes tenham  no mínimo, 07 (sete) atletas no campo.
2• Se uma equipe, ou ambas, ficarem reduzida a 03 (três) atletas, seja por qualquer motivo a partida deverá ser encerrada imediatamente.

            Em qualquer situação destas abaixo:
•Na partida;
•Durante decisão das cobranças de penalidades máximas;
• Durante a decisão de Shoot Out.

3° O atleta só poderá executar um arremesso lateral ou de canto após ter entrado no campo, pela zona de substituição.

4° Qualquer atleta pode trocar de posição com o goleiro, desde que seja autorizado pela arbitragem e com bola fora de jogo.
Quando a troca for com um jogador do banco de reservas, poderá ser realizada com o jogo em andamento ou com bola fora de jogo.
• As substituições são ilimitadas, não havendo necessidade de paralisação do jogo, podendo o mesmo sair e entrar em campo de novo.

5° Quando um jogador for atendido em campo, este deve sair obrigatoriamente pela zona de substituição, mas se o árbitro autorizar pode sair pela linha mais próxima. O atleta lesionado somente poderá retornar com posse de sua equipe e com autorização do árbitro.
• Em caso de sangramento ou lesão o atleta deve deixar o campo de jogo e ser substituído imediatamente.
• O goleiro é único que poderá continuar no jogo, sem obrigatoriedade de ser substituído.

6° Os capitães das equipes devem obrigatoriamente assinar a súmula de jogo.

7° É permitida a substituição de membros da comissão técnica, apenas uma única vez desde que devidamente registrado e o substituído não poderá retornar.




            Observação:
            O item 6 (seis) da coluna é um ponto muito importante na regra, onde se refere que no máximo 20 (vinte) atletas por equipe pode ser registrado na súmula, podendo ser completada até o final da partida, inclusive na prorrogação ela tem que ser cuidado pelo representante da partida.

            Espero que tenha esclarecido todas suas duvidas sobre a regra 03 (três), mas se ficou com alguma, ainda, deixe sua duvida nós comentários.

De: Jhefferson Rodrigues.

Notícia na Mira: Novos Horizontes para o Esporte de Várzea em São Paulo


Já Imaginou uma Federação que Atendesse somente o Futebol Amador? Independente de sua resposta, não deixe de ler completamente essa matéria.
Hoje o Blog Além do Apito vem trazer uma Super novidade, talvez até uma curiosidade no futebol brasileiro.
Inovação? Melhorias para o Futebol Amador (Várzea)?
          Estamos falando da Federação Paulista de Futebol Varzeano (FPFV).
A Federação foi fundada em 2008, com o intuito de resgatar o verdadeiro Futebol Varzeano de São Paulo, aquele que embala os finais de semana dos paulistanos e que foi, por muito tempo, o grande celeiro do futebol profissional do Brasil. A FPFV conta com um cadastro de 3000 equipes varzeanas na grande São Paulo, além de 440 campos de várzea.
Missão: Fomentar o Futebol Varzeano Paulista com uma gestão e de excelência.
Visão: Ser referência na realização de competições e Eventos Esportivos.
Valores: Respeito, Ética, Transparência e Inovação.

          Em breve passaremos mais informações sobre essa Instituição.



Já imaginou em seu estado uma Iniciativa como essa?
Se, o trabalho for desenvolvido seriamente, com competência e sem egos, seguirá muito bem, fará a diferença e servirá de Case Base para demais estados se Inspirarem, conhecerem esse e trabalhar firmemente em Prol de Melhorias na Várzea. É isso que o Blog Além do Apito deseja!
Que o trabalho não fique somente no papel e que em outros estados, siga-se o mesmo exemplo.

Convite para Evento:
No dia 03/06, as 18h30, será realizado no Auditório Paulo Kobayashi – Assembleia Legislativa – Palácio 9 de Julho  – ALESP em São Paulo, Avenida Alvares Cabral, 201, Ibirapuera São Paulo -  ocorrerá um grande evento, onde dentro da principal pauta é apresentação da Nova diretoria da FPFV e as Atualizações da Regra do Jogo, conforme informes abaixo.
A Iniciativa conta com o Apoio do Deputado Adalberto Freitas do PSL – SP.


         

Notícia na Mira: Edna Alves Batista a Segunda Mulher Apitando uma partida na História da Série A do Brasileirão


          O Blog Além do Apito, Grande Apoiador do Futebol e da Arbitragem Feminina, vem a Público falar o que muitas Mídias estão abordando hoje: A Escalação de Edna Alves Batista para Apitar a partida entre CSA e Goiás, válida pela sexta rodada do Brasileirão (Série A).
          Edna (na foto abaixo) é árbitra Central pertencente ao quadro Internacional da FIFA.



          Pertencente a Federação Paulista de Futebol, Edna será a segunda mulher na história do futebol brasileiro a apitar como árbitro central um jogo da Série A. Para relembrarmos rapidamente, a Primeira Mulher Apitar um jogo da Série A do Brasileirão foi Silvia Regina (na foto abaixo), em 2003, no jogo Guarani x São Paulo.  


          A Atuação feminina, nessa partida em que Edna vai apitar: Silvia Regina atuará como supervisora do VAR (assistente de árbitro de vídeo) !!!

          O anúncio foi feito, no dia de hoje, 21/05/19, em audiência pública na sede da CBF, pela a Comissão de Arbitragem da CBF dirigida por Leonardo Gaciba.
          A paranaense Edna, também está escalada para a Copa do Mundo Feminina, disputada no próximo mês, na França.
          Queremos Parabenizar Edna, por cada conquista, visto que, sem esforço, dedicação, garra e muito suor, as oportunidades não batem na porta. A mesma vem atuando muito bem em todas suas partidas onde é escalada, não somente hoje, mas a é uma crescente evolução. Nada mais Justo!
          Edna, Você merece! Estamos na Torcida Por Você!
          Que a ascensão de Edna seja um espelho para demais árbitras em nosso país, não somente sonharem, mas buscarem oportunidades com essa mesma garra e determinação! Com Fé em Deus e principalmente OPORTUNIDADES, tudo se alcança.


Abaixo, segue um Vídeo, disponibilizado pela CBF em seu canal do Youtube!
Pré-selecionada para a Copa da França 2019: Edina Batista, árbitra central



Opinião do Apito: A Bola no Futebol 07 (Sete)


O Futebol 07 (sete), como todos sabem, foi criado no Rio Grande do Sul (RS) e a Federação pioneira foi a Federação Gaúcha de Futebol Sete.
Um esporte, onde apita com dois árbitros, um em cada lado do campo, sempre mantendo a diagonal, tem algumas regras diferentes de outras modalidades como futsal e futebol de campo.
Chego a dizer, que o futebol 07 (sete), é um esporte único, onde escanteios são cobrados com as mãos, toda falta é tiro direto, e temos o famoso, e ao mesmo tempo, o desconhecido e emocionante SHOOT OUT.
Bem vindo ao meu mundo, e hoje te trago um pouco sobre ele, pela regra da Confederação Brasileira de Soccer Society, onde vamos falar da regra 02 (dois) "A Bola".



O que devemos saber é que:
• Cada equipe deve ter uma bola em condições de jogo e está bola ficar na mesa do representante.
• A bola para categorias Sub 07, Sub 09, Sub 11, Sub 13 e Sub 15 feminino a bola deve ter uma circunferência de 68 a 69 cm e de 6 a 8 Libras.
• E para categorias Sub 15, Sub 17, Sub 20, Principal, Principal Feminino, Veterano e Master a circunferência da bola deve ter de 68 a 69 cm e de 8 a 10 libras.

ATENÇÃO!
Se a bola ficar defeituosa com bola em jogo, o árbitro deve:
1° Parar o jogo;
2° Trocar a bola;
3° Reiniciar o jogo com bola ao chão no local a onde estava a bola, mas se está bola, estava dentro da área de meta, a bola ao chão, deve ser feito na intersecção da linha frontal e lateral da mesma (bico da área).
4° Se está bola, ficou defeituosa fora de jogo em um:
• Tiro ou arremesso de meta;
• Tiro de canto;
• Tiro livre;
• Lateral;
• Bola ao chão;
• Pênalti;
• Início de jogo;
• Reinício de jogo;
• Shoot Out.

Deve reiniciar o jogo depois que trocar a bola com a continuação normal desta.
Se a bola ficar defeituosa em posse do goleiro a bola deve ser trocada e reiniciada pelo mesmo.
Espero que tenha conseguido deixar claro a todos, os procedimentos que devemos cuidar na regra 02 (dois) e como disse o professor Milton Mattani:

_"Através do futebol aprendemos que todos tem a liberdade de ir e vir, com restrições, para que a vida em sociedade seja viável."

De: Jhefferson Rodrigues.

Opinião do Apito: Futebol 7 (Sete) - Atenção aos Uniformes dos Atletas e da Comissão Técnica


Futebol 07 (Sete) é um dos esportes que mais cresce no país. Muitos ex-atletas de futebol de campo jogão atualmente, porque além de ser um esporte com substituições ilimitadas e volantes, o campo é menor, é um esporte muito disputado e de grandes emoções.
Por estes motivos, trago a vocês a regra 04 (quatro), "Uniformes dos Atletas e da Comissão Técnica", pela regra da Confederação Brasileira de Soccer Society.
Vou ressaltar alguns pontos a meu ver que devemos cuidar que são:

• Caneleiras:
Uso deve ser obrigatório e feito com material apropriado (plástico, poliuretano ou material similar).
Palmilha e papelão, não pode!

Atleta "sem caneleira em jogo" o que o árbitro deve marcar?

Regra 09 (nove), "Infrações"
O atleta que "tocar a bola" sem estar devidamente uniformizado, deve se marcar falta pessoal do mesmo no local da infração e pedir para recompor seus equipamentos.
Outros acessórios que também devemos cuidar são se os atletas entrar em campo com colar, piercings, anéis, alianças inclusive imagens ou textos que façam apologia contrária à moral do esporte.
Não sendo obedecido, impedirá sua participação.
Claro que, devemos sempre antes de começar o jogo, ver se estão devidamente uniformizados, mas se no caso, alguns deles quiser dar uma de malandro, e entrarem em campo e tocarem na bola, deve se marcar falta pessoal do mesmo, contra sua equipe e pedir que o atleta retire o objeto.

Antes de iniciar a partida, devemos cuidar:
Os capitães das equipes, devem ser identificados com uma tarja fixada em um dos braços de cor diferente do uniforme, podendo estar ou não dentro do campo.
O goleiro deve usar uniforme de cor diferente dos demais atletas, inclusive do goleiro adversário.
Se uma ou ambas as equipes, não tiverem um goleiro reserva, a equipe deve apresentar outra camisa de goleiro com número diferente de seus atletas registrados em súmula, mas se a equipe for utilizar um atleta já escrito em súmula, como goleiro reserva "o mesmo só poderá atuar com camisa de cor diferente, mas com a mesma numeração que se inscreveu anteriormente."
Os componentes da comissão técnica para permanecerem no banco de reservas, devem estar vestidos com calça ou agasalho, camisa com mangas ou similares, sapato, tênis ou chuteira apropriados.
Quando utilização de bermuda, está deverá ser representativa de sua equipe.



OBSERVAÇÕES:
           Comissão técnica não pode estar de:
• Sandália;
• Chinelo;
• Pé descalço;
• Regata;
• Nenhuma bermuda que não seja representativa de sua equipe.

Devemos cuidar nos atletas:
• Que eles não devem ter ataduras e esparadrapo por fora da meia se não for da mesma cor da meia;
• Calção térmico, somente da mesma cor predominante do calção;
• Se estão com caneleiras;
• Sem objetos perigosos;
• Meias caídas não podem, pois devem estar sempre levantadas;
• Não podemos esquecer que se o capitão for expulso deverá indicar outro atleta para função;
• É completamente obrigatório aos atletas postados no banco de reservas usarem coletes, inclusive para o aquecimento e com cores diferentes das camisas das equipes, devendo ter cor única para todos os atletas e os coletes não devem ser iguais aos da equipe adversária.

ATENÇÃO!
Nunca inicie uma partida sem uma camisa de goleiro reserva no banco, e não deixe nenhum atleta ficar no banco de reservas se a equipe não tiver coletes para os atletas postados no banco.

Os finalmentes...

Uma arbitragem preventiva, sempre é bom para um jogo tranquilo e sem problemas futuros. Sei que as regras estão no livro, e qualquer coisa é só aplicar, mas o que é melhor, se remediar, e facilitar sua arbitragem, ou aplicar e se incomodar?
Lembre se, a melhor arbitragem é sempre aquela que não aparece.

De: Jhefferson Rodrigues.

Um vício recorrente no Futebol: Reclamar da Arbitragem - Reflexões

Esse post visa fazer uma breve reflexão quanto a criticas recorrentes a arbitragem brasileira nesse início de Brasileirão 2019.
Trata-se de um comportamento recorrente no futebol brasileiro e, talvez com menos intensidade, mundial: debitar na conta do desempenho da arbitragem os insucessos do time dentro de campo. É um mecanismo de defesa utilizado especialmente por dirigentes e torcedores e, eventualmente, sancionado por comentaristas esportivos.
Por mais que seja desagradável para os que militam no universo do apito e das bandeiras, é forçoso reconhecer que nem sempre as críticas negativas são injustas. Erros acontecem no exercício de todas as profissões, inclusive no mundo do futebol, onde zagueiros calejados cometem falhas bisonhas e centroavantes consagrados erram gols feitos, inclusive em faltas cobradas a partir da marca da cal. Logicamente, árbitros e assistentes não estão imunes a estes tropeços profissionais mesmo com o auxílio do árbitro VAR por vezes evidentes.


Sendo assim, a categoria dos homens e mulheres de preto já está acostumada às restrições ao seu desempenho dentro das quatro linhas. Faz parte do jogo: a crítica ao trabalho da arbitragem, mesmo quando injusta, faz parte da cultura do futebol. O espetáculo das multidões não pode e não deve parar por causa disto.
Agora, cabe diferenciar estas situações frutos da paixão clubística – algumas óbvias, outras simplórias – das manifestações grosseiras e injuriosas que ferem a honra pessoal do árbitro ou assistente. Estas últimas serão sempre alvo de repúdio e, mais do que isto, de ações judiciais por parte das entidades sindicais representativas da arbitragem do futebol brasileiro, sempre visando preservar a honra e a dignidade pessoal e profissional dos homens e mulheres do apito que contribuem com seu ofício para promover a grandeza do futebol brasileiro. No mais, o juiz trila o apito e o bola começa a rolar com um bom espetáculo para todos.

ALEXANDRE MARQUES -  EX-ARBITRO SAFERGS

Links Recomendados